quarta-feira, 5 de junho de 2013

Um problema. Nenhuma resolução. A continuação da farsa!

Uma breve reflexão:


Ou esta:



Depois das imagens e ainda antes da reflexão, eu queria deixar uma pergunta.Com este ou estes quadros competitivos quem sai a ganhar?

Ou melhor: Quem é que nunca ganha?

A minha analise é simples. Muitos perdem e só um ganha. Quem lucra? Ninguém. As provas nacionais ou distritais no nosso país sÃo uma mentira.
Isto tem um reflexo notório nas escassa produtividade das nossas selecções jovens e no jejum de títulos europeus. Nada acontece por acaso, e a falta de competitividade em escalões mais jovens tem ou já esta a ter um impacto enorme nas nossas selecções e no próprio valor dos campeonatos.

Será que ter os melhores dos melhores é benefico para o crescimento dos proprios atletas? Nao seria bem mais interessante fortalecer os adversarios e gerar um campeonato muito mais justo e competitivo? Nao seria mais interessante (ate para ter a certeza da sua evoluçao) resgatar os jovens em idades sempre superiores aos 14, 15 anos? 


Este resultado é repetido vezes sem conta em provas Nacionais. Nao vou ser eu que vou mudar o futebol tal como ele existe, mas nao pactuo com este modelo que se baptiza de formaçao. Olhem para o exemplo Espanhol. Equibrem, e os frutos serão escolhidos de forma mais acertada e todos sairão a ganhar!


Sem comentários: